Poder e Cotidiano em Sergipe
Conexões entre o jogo do Bicho e o regime militar 23 de Novembro 18H:32
ARTIGOS | Por Max Augusto

Conexões entre o jogo do Bicho e o regime militar

Regime militar não é a solução para a violência que assola o país. Falei disso ontem e retomo o assunto hoje. Um bom exemplo de como no período da ditadura a criminalidade cresceu e se profissionalizou é o jogo do bicho.

O bicho já era tradicional e tolerado no Brasil, dominado pela malandragem. Até que membros do Exército saíram dos porões onde torturavam pessoas para auxiliar ou mesmo assumir o comando da jogatina ilegal. Eles levaram técnicas militares de centralização do comando e extermínio da concorrência, profissionalizando o crime organizado.

 

Os grandes chefes do jogo do bicho no Rio de Janeiro surgiram durante o regime militar: Anísio Abraão, Castor de Andrade, e claro, o Capitão Guimarães – que pediu dispensa do Exército para se dedicar ao comando da contravenção.

Foi sob os olhos coniventes do regime militar que o jogo do bicho se institucionalizou, servindo ainda para lavar dinheiro de corrupção e financiar o tráfico e outros crimes.

Para quem quer saber mais sobre o assunto, sugiro a leitura do livro abaixo, onde os autores contam como integrantes do aparato repressivo da ditadura militar migraram para o universo da contravenção – e como ela era tolerada no regime.

Foto: Memórias Reveladas/Arquivo Nacional
 

 

Comentários

  • Seja o(a) primeiro(a) a comentar!

Deixe seu comentário

Imagem de Segurança
* CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba do nosso blog muitas novidades.