Poder e Cotidiano em Sergipe
10 de Setembro 16H:12
PODER

"Ou serei senador com a força da indignação ou voltarei para o meu escritório", diz Henri Clay

O presidente licenciado da Ordem dos Advogados do Brasil em Sergipe (OAB/SE) e candidato ao Senado pelo PPL, Henri Clay Andrade, voltou a deixar claro os motivos que o levaram a entrar para a política, e também quais os princípios que nortearão esse novo caminho para ele.

preciso chegar lá com a força da indignação do povo sergipano. Não vou vender a minha alma para ser senador. Ou serei senador com a força da indignação ou voltarei para o meu escritório. Farei no Senado o que sempre fiz na advocacia. Defendi por mais de 25 anos as causas dos trabalhadores", disse Henri Clay em entrevista concedida hoje à Rádio Comércio, ao radialista Márcio Prata.

Tragédia social
Na oportunidade, o advogado também fez questão de se colocar novamente contrário às reformas trabalhistas e previdenciária, além das políticas praticadas pelo presidente Michel Temer que, segundo ele, é uma tragédia social.

"Sou contra, veementemente contra, frontalmente contra essa reforma trabalhista, que, na verdade, significa uma demolição dos direitos dos trabalhadores e afeta a economia nacional. Por isso, no Senado, a primeira coisa que vou propor assim que tomar posse será a revogação da reforma trabalhista", pontuou o candidato.

E continuou: "É uma política que beneficia o capital estrangeiro. Sou oposição ferrenha a Michel Temer e a todos os que o defendem. Temos que lutar de forma ferrenha contra essa tragédia social que é o governo Temer", afirmou Henri Clay.

Defensor do SUS
Destacando a importância do Sistema Único de Saúde (SUS) para o povo brasileiro, Henri Clay sugeriu abrir a caixa-preta do sistema como forma de fortalecê-lo. "No Senado, quero abrir a caixa-preta do SUS, que está enfraquecido e precisa ser bem administrado, acabando com a politicagem e com a ladroeira. Tenho andado por todo Sergipe e sentido o drama das pessoas. Esse dinheiro está indo para o ralo ou para o bolso de alguém. Eu acredito no SUS e vejo ele como a saída para a população mais pobre. Temos que fortalecer o SUS", explicou o advogado.

Segurança Pública
Questionado sobre a atual política de Segurança Pública do governo do Estado, Henri Clay voltou a falar da necessidade de combater as drogas e garantir uma redução no índice de evasão escolar, dois pilares que, segundo ele, surtirão efeito nos números da violência.

"Quero propor uma repactuação federativa para a Segurança Pública. Temos que fechar as fronteiras, combater o tráfico de drogas e a evasão escolar. Fizeram uma política perversa durante anos com o povo, pois 81% dos sergipanos não concluíram o segundo grau. Ou a gente faz um projeto de Segurança Pública tendo como base a melhoria da educação ou não conseguiremos êxito. Esse modelo que está aí é bruto, ultrapassado e violento. É de matar ou morrer", assegurou Henri Clay.

Ainda falando em Segurança Pública, o presidente licenciado da OAB elencou o drama vivido pelos policiais sergipanos. "Os nossos policiais não vestiram a farda para matar ou morrer. A ideia é fazer uma segurança preventiva. O que vivemos hoje é um caos. São pais e mães de família colocados nas ruas sem as mínimas condições de trabalho. Ainda recebem mal, atrasado e parcelado. Vamos viver nisso a vida toda? Já estamos no purgatório e caminhando para o inferno", disse Henri Clay.

Senador da Justiça Social
E por qual motivo Henri Clay se intitula o senador da Justiça Social?, questionou o radialista Márcio Prata. "Ser o senador da Justiça Social é compreender que a gente tem sim bolsões de miséria. Eu sou defensor do Bolsa Família para atender a quem esteja desempregado, em condições de miséria absoluta e fazer com que ele seja uma travessia para dar dignidade e reinserir essas famílias de volta à sociedade", respondeu.

Por último, o candidato ao Senado conclamou a população a acreditar no seu projeto político. "Não sou o dono da verdade, cometo erros, vou continuar cometendo, mas nunca de má-fé. Sou ser humano, não sou Deus. Deus é a minha referência. Se você quer mudar, acredite no novo, plante uma nova semente. Toda generalização é injusta. Existe pessoas que estão na política e são honestas. Estou candidato a senador e peço o seu voto de confiança. O meu número é 540", finalizou Henri Clay Andrade.

Foto: Joe Marcolino

Comentários

  • Seja o(a) primeiro(a) a comentar!

Deixe seu comentário

Imagem de Segurança
* CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba do nosso blog muitas novidades.

Whatsapp

Receba notícias no seu Whatsapp.

Cadastre seu número agora mesmo!

Houve um erro ao enviar. Tente novamente mais tarde.
Seu número foi cadastrado com sucesso! Em breve você receberá nossas notícias.