Poder e Cotidiano em Sergipe
12 de Setembro 9H:06
PODER

"Fui o governador sem mandato para os municípios", diz André Moura

O candidato ao Senado pelo PSC, André Moura, ressaltou a importância do seu trabalho na Câmara Federal para os municípios sergipanos. Segundo ele, a sua atuação foi mais eficiente do que a do próprio governador do Estado.

"Fui o governador sem mandato para os municípios. Tanto é que vejo o reconhecimento dos prefeitos. Eu ajudei aos municípios. O que vale é o reconhecimento das pessoas que dizem que eu tornei o sonho delas realidade", disse André em entrevista à Radio Jovem Pan.

Ser o líder de Temer

Ele também falou sobre o desgaste em ser o líder do presidente Michel Temer. "Tenho certeza hoje que o meu sacrifício em ser líder no Congresso valeu a pena. Eu sabia que teria bônus e ônus. Eu fiz mais do que o governador. O meu mandato de deputado federal valeu a pena", ressaltou o parlamentar.

Sobre o pagamento dos cachês de músicos que tocaram no São João nos municípios e na Capital, André afirmou que algumas cidades ainda possuem pendências de documentação.

"Acho que os músicos estão certos em cobrar, mas não sou eu que tenho que fazer isso. O recurso está nas contas, talvez aguardando alguma documentação. A minha missão foi cumprida e os festejos juninos realizados. Chegaram nas contas das prefeituras R$ 316 milhões", pontuou o líder de Temer.

Apoio de Edvaldo

Questionado sobre possível apoio de Edvaldo Nogueira (PCdoB) à sua campanha, André voltou a falar em compromisso apenas em favor de Aracaju.

"O nosso compromisso foi com o povo de Aracaju. Edvaldo já declarou apoio a outros candidatos. As declarações que ele sempre fez foi no sentido do agradecimento e que se não fossem os recursos através do nosso mandato, Aracaju não estaria realizando tantas obras", esclareceu o deputado.

Ataques a JB

O candidato também fez questão de atacar o ex-governador e atual adversário para o Senado, Jackson Barreto.

"Hoje, o ex-governador Jackson Barreto faz críticas, mas há alguns meses atrás André Moura era o maior homem do mundo, o que ele pediu, André Moura fez. Cadê os recursos do Proinveste? Quanto foi para as contas do governo? Jackson Barreto tem que responder sobre os R$ 110 milhões das obras do aeroporto e pelos R$ 220 milhões destinados ao hospital do câncer. Será que ele vai culpar alguém?", questionou André.

Ele disse ainda que, independente do presidente que será eleito, continuará com a mesma força que tem hoje na Capital Federal.

"Em Brasília, a coisa funciona com quem tem respeito e credibilidade. Hoje, qualquer que seja o governo, vai me respeitar. Tenho um grupo de amigos no Congresso que me segua e me ouve e não é porque eu sou o líder. Sempre foi assim. Eu não sou de um partido grande, não sou de um estado que tem muitos parlamentares. Tenho um grupo lá que confia em mim e me segue", afirmou o deputado.

Impugnação de suplentes

Por último, ele falou sobre a recente impugnação das candidaturas dos seus suplentes ao Senado. "Vamos nos reunir e substituí-los dentro do prazo legal. Poderíamos recorrer, mas vamos evitar desgastes desnecessários. No meu caso não tem nada contra mim. Sou candidato quando muitos diziam que eu não seria", finalizou André Moura.

Foto: Agência Câmara

Comentários

  • Seja o(a) primeiro(a) a comentar!

Deixe seu comentário

Imagem de Segurança
* CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba do nosso blog muitas novidades.

Whatsapp

Receba notícias no seu Whatsapp.

Cadastre seu número agora mesmo!

Houve um erro ao enviar. Tente novamente mais tarde.
Seu número foi cadastrado com sucesso! Em breve você receberá nossas notícias.